DEPRESSÃO, O MAL DO SÉCULO
Featured

24 January 2018
(0 votes)
Author :  
font size +

DEPRESSÃO, O MAL DO SÉCULO!

Quando fiz a minha pós - graduação em Psicopedagogia, optei por fazer o TCC, com o tema a depressão. Foi aí que vi o quanto esse mal é cruel.
Por certo todos já devem ter ouvido falar da Síndrome de Bournout. De maneira simples e resumida pode-se dizer que ela é um alto nível de estafa mental, alcançado principalmente por excesso de trabalho e falta de reconhecimento. Segundo o pastor Esdras Carvalho, professores, profissionais da saúde, pastores, padres e líderes religiosos fazem parte do grupo de risco. Ou seja, pessoas susceptíveis à essa doença. Depressão, por sua vez, é palavra oriunda do latim (depressionis), e significa ESTAR ABATIDO, debilitado, enfraquecido. É um transtorno de humor. É uma combinação de aflição e mal estar, que ocorre espontaneamente ou que excede, em duração e intensidade, a reação normal a qualquer desastre ou infortúnio. E por fim, a depressão é DOENÇA psiquiátrica, crônica e recorrente, que produz alteração do humor caracterizada por tristeza profunda, associada a sentimentos de dor, amargura, desencanto, desesperança, baixa autoestima e culpa. 
Estudos sérios levam especialistas a dizer que a depressão provoca frequentes e temíveis ideias de suicídio. Essas motivações incluem distorções cognitivas (perceber quaisquer dificuldades como obstáculos definitivos e intransponíveis, tendência a superestimar perdas sofridas) e ainda um intenso desejo de pôr fim a um estado emocional extremamente penoso e tido como interminável. À vista disso, permita-me listar personagens bíblicos que, apesar de heróis da fé, em algum momento da sua existência desejaram mais a morte do que a vida: 1) Moisés{Nm 11.15}; 2) Jó {Jó 3.3; 20-26}; 3) Elias{1 Re 19.4}. Já podemos parar por aqui, embora a lista possa conter outros nomes. Ora, desejar mais a morte que a vida, isso é depressão. Tristeza profunda duradoura, intensa. Isso é depressão. Desejo de dar uma solução definitiva (a morte) para um problema temporário, isso é depressão. Pretendo terminar esse texto dizendo que John Piper, em seu livro “O sorriso Escondido de Deus” afirma que homens como John Bunyan e William Cowper, embora tenham sido os grandes homens de Deus que foram, ambos cheios do Espírito Santo como eram, sofreram sob as amarras da depressão. Aliás, o renomado poeta inglês, evangélico reformado, Cowper, tentou suicídio várias vezes. Precisou que alguém o monitorasse a vida inteira para não tirar a própria vida. Ainda segundo Piper, Spurgeon, o famoso príncipe dos pregadores, sofria duras crises de depressão, e não raro, tinha de abandonar seu campo de trabalho para se tratar. 
Por essas e outras, me reservo o direito de respeitosamente discordar da suspeita simplista de alguns colegas que essa semana, postaram suas opiniões presumindo, nos pastores que cometeram suicidio, eventual falta de comunhão com o Espírito Santo. Síndrome de Bournout, Depressão, Ansiedade, são doenças, são enfermidades , e por tanto, assim como diabetes, hipertensão ou qualquer outra doença, podem sim, acometer um homem e/ou uma mulher de Deus. Pergunto: se pastores sofrem de diabetes, hipertensão ou problemas cardíacos, é sensato acusá-las de falta de comunhão com Deus? Acredito que não. Porque em casos como os transtornos de humor que abordamos essa semana temos que tabular alguém como fracassado em sua relação com Deus? Talvez nos caiba mais o orar pelos familiares enlutados e uns pelos outros, do que tentar dar explicações a perda de combatentes que , como nós, um dia estavam cheios de sonhos e de esperanças, e de repente tudo muda e o mundo desaba.
A palavra de Deus diz: Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. 1 Pedro, 5. 7.
A receita é cofiar em Deus e orar com auxílio é aconselhamento pastoral.
Vale a pena ressaltar que se o mal perdurar é necessário procurar auxílio com um profissional da área. Deus abençoe!

Nos laços eternos,

Pastor Ival Teodoro da Silva 
Psicopedagogo

 

About the author

57 Views
Super User

Suspendisse at libero porttitor nisi aliquet vulputate vitae at velit. Aliquam eget arcu magna, vel congue dui. Nunc auctor mauris tempor leo aliquam vel porta ante sodales. Nulla facilisi. In accumsan mattis odio vel luctus.